Dicas de Investimento de Gurus, Corretoras e Fóruns

Treinar em simuladores da bolsa (paper trading), analisar o mercado e fazer operações fictícias é sem dúvida alguma um método válido para se aprender a acompanhar o mercado. Entretanto, com relação à parte operacional, quando investimos nosso precioso capital, expondo-o ao risco e às oscilações do mercado, a história é bem diferente de quando brincamos em simuladores.

A ansiedade, a excitação, a insegurança e o medo estressam o investidor, alteram a maneira como normalmente age e pensa, muitas vezes tornando-o irracional. Leva-se tempo para se acostumar e isso afeta profundamente a sua atitude e a sua estratégia de investimento. Muitos investidores nesta situação acabam fazendo coisas que sabem que são erradas e cujos resultados acabam afetando ainda mais o emocional e, obviamente, o capital que possuem.

O mais importante no começo é aprender como proteger seu capital e não como ganhar dinheiro com ele, o que só acontecerá quando se consolidar o primeiro. Caso contrário, seu saldo na corretora será “zerado” e acabou a brincadeira na bolsa, pois para fazer dinheiro no mercado é preciso ter dinheiro.

“Aqueles que procuram por dinheiro fácil invariavelmente pagam pelo privilégio de provar, sem sombra de dúvida, que isso não pode ser encontrado neste mundo”.

Jesse Livermore

 

Neste sentido, o ideal é procurar fazer com que suas operações tenham um potencial de lucro alto e um potencial de prejuízo baixo. A melhor maneira de fazer isso é protegendo seu capital e cortando as perdas. Não importa o quanto você ganha no mercado e sim o quanto você consegue manter, o que você consolida em patrimônio. E para isso é fundamental de tempos em tempos realizar o lucro e reinvesti-lo em algo fora da bolsa, imóveis, viagens, bem estar, etc. O dinheiro não é o fim, é apenas o meio para alcançá-lo.

A pior coisa que pode acontecer com um investidor novato é entrar na bolsa e sair ganhando logo de cara. Tal situação o torna invencível, levando-o a acreditar que sempre será assim. Neste processo são despertadas a ganância e a imprudência. Ele começa a pular de ação para ação sempre buscando a que vai subir, passando a operar de forma impulsiva e com maior risco, como se estivesse apostando num cassino. Não consegue parar e ficar fora do mercado, esperar que um momento ruim passe ou que uma boa oportunidade apareça, para que então entre novamente. É um investidor viciado que quer sempre estar posicionado em algo para poder ganhar sempre.

A partir daí, todos os sinais técnicos e econômicos de que o mercado irá cair, ou que já está caindo, são ignorados. O investidor está cego, e mentindo para si mesmo não compreenderá mais a sua própria estratégia e as suas regras operacionais. Consequentemente, a partir do momento em que o mercado inverter a sua tendência de alta, devolverá tudo o que lucrou em suas primeiras operações, ou até mais. Uma das definições da insanidade é sempre repetir os mesmos atos esperando resultados diferentes todas as vezes.

"O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a sermos salvos pela crítica".

Norman Vincent

A maneira como o mercado de renda variável e “vendido” às pessoas é bem similar às propagandas de cassinos. A semelhança do home broker com o vídeo game, estimula as pessoas a operarem demasiado e em momentos errados, pelo prazer de jogar, de apostar. Considerando a grande facilidade do sistema, elas são tentadas a mudar posição com muita freqüência, buscando lucros rápidos, o que faz com que percam a visão de médio e longo prazo e, consequentemente, deixem de auferir retornos muito maiores.

Essa freqüente mudança de posição acarreta maiores ônus para o investidor (mais corretagem, emolumentos, impostos, etc.). Gurus do mercado vendem operações “mirabolantes” utilizando gráfico e análise técnica, estratégias alavancadas ou com pontas em diversos ativos, que segundo eles têm retorno garantido.

Corretoras indicam estratégias da moda, tais como operações de long short, daytrade, venda coberta de opção, sistema de algoritmos, dentre outras, no intuito de fazer com que o investidor opere mais do que precisa, pois o lucro da banca é a corretagem, e quanto mais o jogador operar no mercado, mais ele pagará em taxas para a banca. Esses sistemas e estratégias de operação na maioria das vezes produzem resultados medíocres, além de onerarem o capital do investidor. Assim, controlar a ansiedade é uma das coisas mais importantes para ganhar dinheiro investindo em renda variável.

Outra estratégia perigosíssima das corretoras é alavancar seus clientes para ganharem juros sobre empréstimos e corretagem percentual ao valor das operações. Um investidor pode operar no mercado a termo com até 10 vezes o valor de seu capital. E na conta margem lhe dão até 100% sobre seu capital ao custo de juros altos. Tais estratégias das corretoras expõem seus clientes a riscos muito maiores do que a maioria pode assumir, diminuindo suas chances de sucesso, pois uma pequena variação do mercado pode retira-lhes 30%, 50%, ou mesmo, 100% de seu capital.

Ao aumentar o tamanho de sua posição, alavancam tanto o lucro como o prejuízo. Por exemplo, um investidor com um capital de R$ 10.000,00 que opera em margem um termo de 5x o valor do seu capital (R$ 50.000,00), se a sua operação gera um prejuízo de 10%, ele terá uma perda real em seu capital de 50% (R$ 5.000,00). Para voltar à estaca zero terá que fazer uma operação que lhe renda 100% sobre o que sobrou do seu capital. O mais incoerente disso é que no Brasil por lei nenhum fundo de investimento pode investir mais que 80% de seu capital em ações e derivativos, grande parte deve estar em títulos públicos. No entanto, as corretoras estimulam que os investidores o façam.

“O indivíduo que quiser ser vitorioso na luta contra os gigantes deve cultivar a paciência e controlar a ganância. Lembre-se, seu objetivo é operar bem, ao invés de operar sempre”.

Alexander Elder

Investidores iniciantes estão à procura de alguém que lhes indique um bom investimento e não uma boa estratégia de investimento. Pedir conselho aos outros e levar em consideração a percepção dos outros é uma tentativa de diminuir o seu grau de responsabilidade. É externalizar a responsabilidade de suas operações para terceiros em busca de uma falsa sensação de segurança.

Isso é uma ilusão, pois no final a responsabilidade cabe apenas a você. Portanto, não acredite em tudo que você escuta em fóruns, corretoras, cursos e lê na Internet. Não assuma que corretores e gurus são o que eles dizem ser. O investimento que parece ser tão bom, na prática pode não ter uma fundamentação econômica ou o retorno que dizem ter.

Sem dúvida, é importante ter a orientação de alguém mais experiente para aprender a investir bem e compreender os mecanismos e riscos do mercado. Mas não para lhe ditar em que e quando investir. Primeiro, porque a dependência do conhecimento alheio não o permitirá ir a lugar algum com seus próprios pés. E segundo, porque seguir dicas, geralmente, é um rápido meio para perder bastante dinheiro. E o mercado está cheio de pessoas dispostas a dar dicas e dizer qual papel vai “bombar”.

O mercado evoca nas pessoas a ganância por maiores ganhos. A sua impaciência e a sua ansiedade o farão ficar ávido para investir em algo. Esse tipo de atitude cria nas pessoas uma mentalidade de manada. Ao assumir que todo mundo deve saber de algo que você não sabe, você estará apenas seguindo a mentalidade de rebanho das massas. Um investidor experiente já passou dessa fase. Sua postura é dedicada e silenciosa. Portanto, evite dicas.

"Quando você se afasta de pessoas complicadas até a sua saúde melhora".

Em vista disso, seja cauteloso a respeito de promessas de lucros rápidos e estratégias mirabulosas, ofertas e “dicas” sobre determinada ação ou estratégia de investimento garantida. Evite a pressão para investir antes de ter uma oportunidade para investigar. Dispense um tempo para analisar uma possível oportunidade de investimento antes de aplicar. Todo dia útil tem pregão, não se apresse.

Na vida existe uma relação entre esforço e resultado. Para todo esforço feito deve-se esperar algum resultado. Se o esforço não gerar resultado, deve-se interrompê-lo ou modificá-lo, pois não há sentido em persistir no que se sabe que não vai gerar o resultado desejado.

O Iniciante ao ganhar um pouco de experiência e confiança aumenta o tamanho de suas operações, e daí, começa a perder. Seu grande erro é achar que sabe demais (arrogância), que irá fazer uma grande quantidade dinheiro de imediato (ganância), é achar que irá ficar rico rapidamente (soberba).

Isso acaba desenvolvendo um hábito autodestrutivo, o overtrading. Esse termo significa operar com recursos maiores do que se possui e mais vezes do que se deve. É operar com dinheiro emprestado, alavancado, com margem, com o dinheiro necessário para sobreviver, ou seja, alem da sua possibilidade financeira.

O overtrading vem da indecisão e da ansiedade. A ganância por mais lucros e o medo de perder a oportunidade libertam os extremos no comportamento das pessoas. O investidor pode controlar o impacto de suas emoções em suas operações com regras sólidas e bom senso, mas poucos conseguem ter essa disciplina.

“A forma mais rápida de se fazer uma pequena fortuna na bolsa é entrando com uma grande fortuna”.

Um ambiente social estático, limitado e previsível é muito importante para termos a sensação de segurança e bem-estar. Entretanto, o mercado oferece exatamente o oposto disso. Ele instiga nas pessoas o desejo compulsivo de ganhar muito dinheiro e rápido, assim como o medo devastador de perder tudo. É um grande provedor ao oferecer a possibilidade de realizar o sonho de independência financeira, e um grande monstro, por estar pronto para tirar tudo de você. Esses sentimentos distorcem a percepção das oportunidades e dos perigos. Você precisa operar da maneira mais objetiva possível. E, além disso, você deverá empregar tanto tempo analisando a si mesmo quanto emprega analisando o mercado.

Nos investimentos de risco tais como ações, opções e futuros, não existem garantias de lucro. Prejuízos podem acontecer e muitas vezes acontecem. O interessado em investir deverá avaliar sua condição financeira de poder assumir os riscos inerentes a esta atividade, e inclusive, em alguns casos considerar a possibilidade de perder totalmente seu capital. Caso você tenha a infelicidade de perder mais de 25% do seu capital, o mais coerente é parar e repensar sua estratégia. Pois dificilmente esta irá lhe render os 33,33% necessários para voltar a ter o que tinha antes. E insistindo no mesmo erro provavelmente perderá o restante.

Entre setembro de 2007 e outubro de 2008 as ações preferenciais da Petrobrás se desvalorizaram cerca de 65%. Com quedas desta magnitude acontecendo de tempos em tempos no mercado, o indivíduo que resolve investir em renda variável sem qualquer critério, simplesmente esperando que no longo prazo o retorno seja bom, pode eventualmente se ver obrigado a liquidar sua posição, em razão precisar desse dinheiro por algum motivo, num momento em que seu capital aplicado vale menos que 50% do capital inicial.

A maioria das pessoas que inicialmente acham que no longo prazo não tem erro, e que tem a falta de sorte de comprar próximo a um topo como este citado acima, acaba precisando do dinheiro ou se desesperando em razão das perdas crescentes e liquida sua posição com grandes prejuízos, os quais poderiam ser evitados se os investimentos fossem planejados, especificamente no quesito limite de risco. Qualquer um que pretenda investir no mercado deve encará-lo da mesma forma que um negócio e não como um jogo de aposta assim como muitas pessoas fazem.

Após uma sucessão de operações perdedoras talvez o ideal seja parar e esperar, ficar de fora do mercado. Negociar para tentar se recuperar de uma série de operações perdedoras é emocionalmente devastador. A angústia pelo dinheiro perdido e a agonia de querer correr atrás do prejuízo fazem com que o investidor opere de maneira imprudente e irracional. O trade vingativo na maioria das vezes tem como resultado mais prejuízo. Quando você começa a quebrar as suas próprias regras talvez seja um bom momento para sair de férias e ficar fora do mercado até achar que está preparado para segui-las novamente.

“Existe o tolo evidente, o qual repete seus próprios erros muitas vezes e em todos os lugares, mas há o tolo de Wall Street, que pensa que tem que negociar o tempo todo”.

Jesse Livermore

Além dos artigos de educação financeira, o portal Capital e Valor disponibiliza Análises Financeiras, Cotações e Múltiplos calculados em Tempo Real, Evolução dos Resultados e Indicadores em Gráficos Interativos, Rankings de Desempenho Setorial e Geral das S/A, um Banco de Dados em planilha com os Resultados Trimestrais Históricos (ITR e DRE), Múltiplos e Cotações de mais de 376 empresas listadas na Bovespa, bem como um Módulo Financeiro para controle de finanças pessoais, planejamento e evolução econômica. Acesse aqui e aproveite dos nossos serviços.