O Investidor Iniciante na Bolsa de Valores

A maioria dos investidores iniciantes entram no mercado depois de serem longamente tentados por um ciclo de alta e de notícias otimistas sobre as performances dos investimentos de renda variável. Depois de quebrada a resistência inicial, esses investidores tomam posições visando o longo prazo e, na onda da euforia do mercado, logo veem excelentes resultados. Mas em seguida a euforia passa, o mercado vira, e muitos acabam não aguentando os prejuízos e encerram seus investimentos, tomando pavor da renda variável.

O iniciante quando decide investir no mercado pela primeira vez está à procura do “pulo do gato”, daquilo que ninguém ensina, mas que o fará rico rapidamente. Embora não exista, os novatos tendem a acreditar no pulo do gato, perdidos diante de tantas possibilidades operam em vários mercados e em diferentes ativos, tentam aprender dezenas de teorias complexas, centenas de indicadores técnicos e setups “milagrosos”.

Neste processo ficam muito confusos e perplexos com a quantidade de informação. Quando uma oportunidade de operação aparece a dúvida e o medo tiram sua capacidade de decisão e fazem com que suas reações sejam emocionais e impulsivas. Os novatos se perdem dentro do seu próprio caos pessoal e, geralmente, os resultados são negativos e caros, afetando seu psicológico, sua estima e seu patrimônio.

“A expectativa é proporcional à decepção”.

Geadilson Bezerra

Muitos entram no mercado atraídos por falsas promessas de enriquecimento rápido, métodos de análise milagrosos e estratégias garantidas. Compram por impulsão achando que poderão perder uma oportunidade, mas o que acabam perdendo é dinheiro. Da mesma forma, vendem por desespero achando que poderão perder o pequeno lucro que obtiveram, deixando de aproveitar o grande movimento de longo prazo. A natureza desse tipo de investidor trabalha contra ele mesmo, o qual se mantém oscilando entre extremos de impulsividade e de medo.

De maneira geral, estão despreparados para o que estão fazendo e inconscientes da realidade do mercado e dos riscos a que estão expondo seu capital. Geralmente começam a estudar análise técnica, acreditando equivocadamente que podem aprender a dominar um gráfico de preços e predizer a direção do mercado. Acreditam que fazendo isso irão acertar sempre e ficarão ricos rapidamente. Acabam se tornando arrogantes e prepotentes, fadados ao fracasso e a perderem dinheiro com o passar do tempo.

Investidores iniciantes tendem a aumentar posições perdedoras, a fazer preço médio no prejuízo, a liquidar rapidamente as posições com lucro e a segurar as posições com prejuízos. Limitam os lucros e deixam os prejuízos crescerem na esperança de que irão recuperá-los no futuro. O lucro por outro lado, por menor que seja é sempre bom, os deixa felizes, realizados e poderosos, dá-lhes um reforço positivo que junto com o medo os condicionam a realizarem rapidamente o lucro assim que suas operações começam a andar na direção certa.

Realizar operações medíocres em ativos que proporcionam lucros pequenos afeta o desempenho do investidor, pois seu capital fica preso e ele acaba perdendo melhores oportunidades em outros ativos, além de estar correndo risco por um pequeno retorno. O efeito da inflação no longo prazo acaba depreciando seu patrimônio, pois o investidor vai perdendo poder aquisitivo.

“Jamais tente consertar um erro com outro erro”.

Capital e Valor

A realização do prejuízo por outro lado é muito desagradável, os fazem se sentirem mal, lhes tira o sono, causando vergonha e frustração. Quando liquidamos uma operação com prejuízo temos de assumir o que é difícil para muitos, reconhecer para nós mesmos que erramos. Precisamos voltar a sermos humildes e realistas, refletindo sobre os erros cometidos para aprendermos e mudarmos de atitude, não só em relação ao mercado, mas também para com as demais pessoas. O importante é entender que ter prejuízos faz parte de investir no mercado, só é preciso cuidar para que estes sejam pequenos, não diminuindo muito seu capital antes que seus investimentos comecem a dar lucros.

A vantagem da reflexão sobre os erros é que ela faz com que os defeitos de personalidade fiquem evidentes. Frequentemente seus erros serão o seu melhor professor, lhe fazendo voltar à realidade, assim como a vergonha de se estar errado e ter que encarar as pessoas com um prejuízo. Por isso, a observação é uma das qualidades presentes no investidor de sucesso. Cada erro é uma aprendizagem e traz sempre algo de valor. A atitude de vencedor é procurar transformar situações negativas e frustrantes em algo positivo.

Uma análise dos erros cometidos, assim como dos acertos, melhora a sua percepção, possibilitando que sejam notados com antecedência numa situação futura, ou mesmo, que sejam evitados. Olhar para si mesmo e enxergar seus defeitos é uma qualidade que só está presente naqueles que atingiram certo grau de maturidade, qualidade que os permitem evoluir ao longo do tempo. E o tempo é o maior fator de construção do seu patrimônio, quanto mais cedo começar, maior será a meta alcançada.

“Não é a mais forte das espécies que sobrevive, nem a mais inteligente, mas aquela mais capacitada a se adaptar”.

Charles Darwin

Muitos investidores compram ações sempre no intuito de obter lucro, mas acabam ficando com estas ações por mais tempo do que esperavam simplesmente porque o mercado, que é de renda variável e não de renda fixa, ao invés de subir, caiu. Para não realizarem o prejuízo em suas operações, esses “investidores” mantêm suas posições e passam a se rotular “investidores de longo prazo”.

Procuram quaisquer argumentos no intuito de provar para si mesmos que apesar de suas operações estarem dando errado, ainda assim estão certos. Buscam quaisquer notícias, análises e opiniões, e a partir daí, surgem definições inúteis que tentam negar a realidade, tais como preço justo, preço alvo, preço teórico, preço segundo a minha análise, preço que vai estar dia tal, preço que deveria estar, preço que o analista tal disse que vai chegar. O preço é o que está na pedra e acabou! É o valor pelo qual alguém está disposto a comprar ou a vender um ativo naquele momento e pronto!

Em outras palavras, tais “investidores” buscam esperança, conforto e consolo para sua situação. Culpam outros pelo seu fracasso (negação), externalizando sua responsabilidade ou justificando seus erros, característica de pessoas fracas e imaturas. Quando a dor aumenta de pouco em pouco a tendência é não fazer nada e esperar que melhore.

Não existe absolutamente qualquer garantia de que um investimento em renda variável que está mostrando prejuízo irá resultar em lucro no longo prazo. Como disse Keynes, “no longo prazo estaremos todos mortos”. E no final da história somos todos especuladores e nossos maiores inimigos são a ignorância, a ganância, o medo e a esperança, e conforme dito anteriormente, nada pode eliminá-los da nossa natureza humana, podemos apenas administrá-los.

“Somente realize uma operação no mercado quando houver definido muito bem uma porta de entrada e uma janela de saída”.

Capital e Valor

A verdade é que os mercados de renda variável são ambientes ricos em oportunidades, independentemente do prazo do investimento. Eles proporcionarão excelentes oportunidades, que poderão levar para sua conclusão alguns minutos, outras que levarão horas, dias, semanas ou meses. Pouco importa o nome que se dá a esses prazos. O que importa é que oportunidades ocorrem dentro de todos eles e podem ser aproveitadas. No entanto, independe do prazo, seu aproveitamento depende de conhecimento e tempo para se dedicar.

Não existe o prazo certo. Existem os motivos certos. Há de se fazer uma distinção entre investimento e especulação. O especulador é um apostador, alguém de comportamento inconstante, que muitas vezes faz as suas apostas no calor do momento. Já o investidor é como um enxadrista, que pensa cuidadosamente as suas jogadas. Ele possui uma estratégia e não se abala ao perder algumas peças, pois sabe que é inevitável. Ele aceita as perdas, mas as sofre de forma controlada, pois sabe que, dessa forma, chegará ao ponto de dar o xeque-mate. Esse é o perfil dos investidores de sucesso.

Muitos iniciantes tendem a não aceitar a realidade quando o mercado se move contra suas expectativas. Tal resistência é mantida até o ponto em que as perdas de tão grandes se tornam insuportáveis e obrigam o iniciante a admitir que está errado, ou seja, a liquidar sua posição perdedora com um enorme prejuízo, muitas vezes num momento bem próximo à reversão da tendência do preço do ativo.

Assumir os próprios defeitos e fraquezas emocionais é um processo difícil para qualquer um, principalmente quando se é obrigado a fazê-lo da pior forma possível, ou seja, em razão de sucessivos prejuízos no mercado. De uma forma ou de outra confrontá-los é, ainda assim, a única forma de superá-los.

Se você distorce as informações do mercado não está enxergando a realidade do mesmo, mas criando uma ilusão. Estará criando motivos aceitáveis para pensamentos e ações inaceitáveis, bloqueando exatamente aquelas informações que você mais precisa para mudar de atitude.

A recompensa pela esperança e pela arrogância será sempre o prejuízo. Modificar sua percepção do mercado para justificar uma compra que deu errado, acreditando que se trata apenas de uma pequena correção, pode resultar num grande prejuízo quando na verdade se tratar de uma reversão do mercado. Você pode aprender a pensar de modo diferente sobre qualquer coisa se resolver fazê-lo.

“Esteja convencido de que se alguma coisa está errada, está errada contigo e não com o mercado”.

Capital e Valor

Além dos artigos de educação financeira, o portal Capital e Valor disponibiliza Análises Financeiras, Cotações e Múltiplos calculados em Tempo Real, Evolução dos Resultados e Indicadores em Gráficos Interativos, Rankings de Desempenho Setorial e Geral das S/A, um Banco de Dados em planilha com os Resultados Trimestrais Históricos (ITR e DRE), Múltiplos e Cotações de mais de 376 empresas listadas na Bovespa, bem como um Módulo Financeiro para controle de finanças pessoais, planejamento e evolução econômica. Acesse aqui e aproveite dos nossos serviços.